Alfred Hitchcock

Alfred Hitchcock

 
alfred_hitchcockHoje resolvi falar um pouco deste grande diretor que infelizmente não tive o prazer de ver seus filmes inteiros, apenas algumas partes em especiais ou reportagens. E como este ano o mais famoso de seus filmes “Psicose” (1960) completa 50 anos como uma pequena homenagem a este grande diretor vou mostrar um pouco da carreira dele, para aqueles que como eu não tiveram o prazer de ver seus filmes pelo menos conheçam um pouco de sua carreira e trajetória.
O famoso e cultuado cineasta inglês Alfred Joseph Hitchcock nasceu em 13 de agosto de 1899 em Londres e faleceu aos 80 anos de idade nos Estados Unidos em 29 de abril de 1980, na cidade de Los Angeles, California, devido a problemas renais. Ele é considerado o “Mestre do Suspense”, com uma carreira de quase 70 filmes, boa parte composta por expressivos clássicos do cinema que tornaram-se referências para toda uma safra de “thrillers” seguintes, além de inspiração para o trabalho de vários outros diretores importantes, como George Romero, Francis Ford Coppola, Dario Argento, Mel Brooks, Brian De Palma e Quentin Tarantino, que homenagearam o cineasta em seus filmes.
Alfred Hitchcock nasceu em Leytonstone, em Essex (atual Londres). Filho de Emma e William Hitchcock,o seu pai vendia frutas e verduras, e ele tinha mais dois irmãos. Recebeu uma rígida educação católica na escola londrina St. Ignatius College, cuja estrutura escolar era baseada nos ensinamentos do jesuíta Inácio de Loyola.
Aos 14 anos Hitchcock perdeu o pai, deixou a escola e começou a trabalhar na companhia Henley, como fabricante de cabos elétricos, onde desenvolveu trabalhos em design gráfico de publicidade.
A sua carreira cinematográfica começou em 1920, com um emprego na Famous Players-Lasky, da Paramount Pictures e, durante dois anos, ele fez as telas de texto que identificavam dialógos de filmes mudos filmes mudos. Logo aprendeu a criar roteiros e a editar. Em 1922, tornou-se cenógrafo e assistente de direção. Em 1922 fez o seu primeiro filme, chamado Number Thirteen, mas o projeto foi abandonado. Entre 1923 e 1925, Hitchcock trabalhou em Berlim, na UFA (Universum Film AG).
A sua criatividade surpreendeu os dirigentes do estúdio, que decidiram promovê-lo a diretor e, em 1925, ele ganhou a primeira chance como diretor no filme “The Pleasure Garden”, feito pela Ufa Studios na Alemanha. Em 1926 estreou no suspense com o filme “The Lodger: A Story of the London Fog” (pt: O pensionista / br: O inquilino ou O locatário). Este filme seria o seu primeiro sucesso, baseado nos assassinatos de Jack, o Estripador.
Apartir daí, Hitchcock faria pelo menos uma aparição em cada uma de suas produções, o que se tornaria uma das suas marcas. Foi também o seu primeiro filme de suspense, gênero que o consagraria em todo o mundo.  No mesmo ano, casou-se com Alma Reville. Ela era assistente de diretor e trabalhava com ele na Paramount. A primeira filha do casal, Patricia, nasceu em 1928.
alfred-hitch
Periódo Inglês
Em 1929, Hitchcock filmou “Blackmail” (Chantagem e Confissão) , o primeiro filme sonoro britânico. Em 1933, Hitchcock foi trabalhar na Gaumont-British Picture Corporation, e o seu primeiro filme para a companhia chamou-se “The Man Who Knew Too Much” (O Homem que Sabia Demais), de 1934, que seria refilmado em 1956 com outros atores.
O seu segundo filme pela companhia foi “The 39 Steps” (Os 39 Degraus), de 1935, considerado o melhor filme deste período. Neste filme, pela primeira vez ele usa uma técnica chamada de MacGuffin (as vezes de McGuffin ou Maguffin), a técnica designa uma desculpa argumental que motiva aos personagens a desenvolver uma história, o que na realidade carece de relevância.
É também o primeiro filme que Hitchcock usa o elemento de uma fuga de um inocente.
O seu próximo sucesso foi “The Lady Vanishes” (A Dama Oculta) 1938, que envolvia intriga internacional.
Estes filmes chamaram a atenção de Hollywood para o diretor tanto que o produtor David O. Selznick chamou-o para trabalhar.
Periódo em Hollywood
Hitchcock mudou-se para os Estados Unidos em 1939 e tornou-se cidadão norte-americano em 1955. Seu primeiro filme americano foi “Rebeca”, que rendeu ao cineasta sua primeira indicação ao Oscar. Rebecca, que era ambientado na Inglaterra e baseado no romance de Daphne du Maurier. Rebecca ganhou o Oscar de melhor filme, mas Hitchcock perdeu na disputa de diretor.
A sua fase consagrada carreira americana dirigiu seus principais filmes como “Festim Diabólico” (1948), “Pacto Sinistro” (1951), “Disque M Para Matar” (1954), “Janela Indiscreta” (1954), “Um corpo Que Cai” (1958), “Intriga Internacional” (1959), “Psicose” (1960), “Os Pássaros” (1963) e “Frenesi” (1972), trabalhando com atores consagrados como Cary Grant, James Stewart, Gregory Peck, James Mason, Paul Newman, Sean Connery, Ray Milland, Grace Kelly, Kim Novak, Ingrid Bergman, Vera Miles, Doris Day, e outros.
O suspense de Hicthcock distinguia-se do elemento surpresa mais característico do cinema de horror. O suspense é acentuado pelo uso de música forte e dos efeitos de luz. Nos filmes hitchcockianos, a ansiedade do espectador aumenta pouco a pouco enquanto, o personagem não tem consciência do perigo. São apresentados dados ao telespectador que o personagem do filme não sabe, criando uma tensão no espectador em saber o que acontecerá quando o personagem descobrir. Em Psycho, somente o espectador vê a porta se entreabrir, esperando algo acontecer enquanto o detetive sobe a escada.

Fase Inglesa:

 O Locatário (The Lodger – A Story of the London Fog, 1927) – Preto e Branco – Mudo – Com Marie Ault e Arthur Chesney.

Chantagem e Confissão (Blackmail, 1929) – Preto e Branco – Com Anny Ondra e Sara Allgood.
Assassinato (Murder!, 1930) – Preto e Branco – Com Herbert Marshall e Norah Baring.
O Homem que Sabia Demais (The Man Who Knew Too Much, 1934) – Preto e Branco – Com Peter Lorre e Leslie Banks.
Os Trinta e Nove Degraus (The Thirty-Nine Steps, 1935) – Preto e Branco – Com Robert Donat e Madeleine Carroll.
O Marido Era o Culpado (Sabotage, 1936) – Preto e Branco – Com Sylvia Sidney e Oskar Homolka.
O Agente Secreto (Secret Agent, 1936) – Preto e Branco – Com John Gielgud e Peter Lorre.
Jovem e Inocente (Young and Innocent, 1937) – Preto e Branco – Com Nova Pilbeam e Derrick De Marney.
A Dama Oculta (The Lady Vanishes, 1938) – Preto e Branco – Com Michael Redgrave e Margaret Lockwood.


Hitchcock


Fase Americana:
Rebecca, a Mulher Inesquecível (Rebecca, 1940) – Preto e Branco – Com Laurence Olivier, Joan Fontaine e George Sanders.
Correspondente Estrangeiro (Foreign Correspondent, 1940) – Preto e Branco – Com Joel McCrea e George Sanders.
Suspeita (Suspicion, 1941) – Preto e Branco – Com Cary Grant, Joan Fontaine e Cedric Hardwicke.
Sabotador (Saboteur, 1942) – Preto e Branco – Com Robert Cummings e Priscilla Lane .
A Sombra de Uma Dúvida (Shadow of a Doubt, 1943) – Preto e Branco – Com Joseph Cotten e Teresa Wright.
Quando Fala o Coração (Spellbound, 1945) – Preto e Branco – Com Ingrid Bergman e Gregory Peck.
Interlúdio (Notorious, 1946) – Preto e Branco – Com Cary Grant, Ingrid Bergman e Claude Rains.
Agonia de Amor (The Paradise Case, 1947) – Preto e Branco – Com Gregory Peck e Charles Laughton.
Festim Diabólico (Rope, 1948) – Com James Stewart e Cedric Hardwicke.
Sob o Signo de Capricórnio (Under Capricorn, 1949) – Com Ingrid Bergman e Joseph Cotten.
Pavor nos Bastidores (Stage Fright, 1950) – Preto e Branco – Com Jane Wyman e Marlene Dietrich.
Pacto Sinistro (Strangers on a Train, 1951) – Preto e Branco – Com Leo G. Carroll e Farley Granger.
A Tortura do Silêncio (I Confess, 1953) – Preto e Branco – Com Montgomery Clift, Anne Baxter e Karl Malden.
Disque M Para Matar (Dial M For Murder, 1954) – Com Ray Milland, Grace Kelly e Robert Cummings.
Janela Indiscreta (Rear Window, 1954) – Com James Stewart e Grace Kelly.
Ladrão de Casaca (To Catch a Thief, 1955) – Com Cary Grant e Grace Kelly.
O Terceiro Tiro (The Trouble With Harry, 1955) – Com Cary Grant, Joan Fontaine e Cedric Hardwicke.
O Homem que Sabia Demais (The Man Who Knew Too Much, 1956) – Refilmagem de homônimo de 1934, com James Stewart e Doris Day.
O Homem Errado (The Wrong Man, 1956) – Preto e Branco – Com Henry Fonda e Vera Miles.
Um Corpo que Cai (Vertigo, 1958) – Com James Stewart e Kim Novak.
Intriga Internacional (North By Northwest, 1959) – Com Cary Grant, James Mason e Eva Marie Saint.
Psicose (Psycho, 1960) – Preto e Branco – Com Anthony Perkins, Janet Leigh, Vera Miles, John Gavin e Martin Balsam.
Os Pássaros (The Birds, 1963) – Com Tippi Hedren, Rod Taylor, Suzanne Pleshette e Veronica Cartwright.
Marnie, Confissões de uma Ladra (Marnie, 1964) – Com Tippi Hedren, Sean Connery e Diane Baker.
Cortina Rasgada (Torn Curtain, 1966) – Com Paul Newman e Julie Andrews.
Topázio (Topaz, 1969) – Com Frederick Stafford e Dany Robin.
Frenesi (Frenzy, 1972) – Com Jon Finch e Alec McCowen.
Trama Macabra(Family Plot, 1976) – Com Karen Black e Bruce Dern.
Share